Os resultados obtidos até o momento pelo MISEAL referem-se, principalmente, ao levantamento, sistematização, padronização e análises multinível e comparativas que contextualizam, a partir de dados populacionais sobre os países, os resultados sobre as IES e sistemas educacionais nos países, sobre equidade de gênero e sobre marcadores de raça/etnia e necessidades especiais.

Uma parte importante do trabalho foi dedicada à aplicação da perspectiva interseccional aos objetivos do MISEAL e ao levantamento de informações a partir dos marcadores sociais de diferença selecionados: gênero, etnia/raça, nível socioeconômico, sexualidade, idade e necessidades especiais.

No decorrer do trabalho as equipes dos países se depararam com a falta de dados sistematizados e de políticas de coleta e armazenamento. Também encontraram realidades bastante heterogêneas entre as IES participantes. Assim, a sensibilização das instituições para a necessidade de instituir práticas de produção destes dados foi uma das recomendações mais urgentes.

Para dar suporte a uma análise contextualizada da realidade nacional e do sistema educacional em que se insere cada uma das IES, adotou-se como estratégia a utilização de estudos secundários produzidos pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL) e pela Divisão de População da CEPAL (CELADE). O trabalho também exigiu esforços significativos para harmonização de termos e conceitos. Harmonizar, neste contexto, significa promover ações para permitir a comparabilidade de categorias utilizadas para a análise e estabelecer critérios para a comparação contextualizada dos países e instituições participantes do MISEAL.

Assim, os resultados aqui divulgados também permitem conhecer melhor as realidades das IES participantes e delinear estratégias de trabalho capazes de lidar com a heterogeneidade e com a complexidade envolvida na geração dos indicadores interseccionais.

Espera-se que esses resultados, mesmo que ainda limitados pela escassez e heterogeneidade no que diz respeito à produção e sistematização de dados sobre os diversos marcadores de diferença e indicadores, sejam utilizados no sentido de intensificar a coleta e sistematização de dados na IES e a produção de indicadores transnacionais na América Latina. Espera-se também que sejam usados cada vez mais como subsídios para informar políticas educacionais mais efetivas na promoção da equidade de condições para o acesso, a permanência e mobilidade entre estudantes, docentes e funcionáriosnas IES latino-americanas.