O Observatório Transacional de Inclusão Social e Equidade no Ensino Superior (OIE) é uma plataforma online que centraliza resultados de pesquisa, suportes conceituais e metodológicos, recomendações e instrumentos para ampliar a informação e possibilidades de intervenção no âmbito do projeto MISEAL. Está organizado a partir de uma perspectiva comparativa, mas que também permite acessar os conteúdos relacionados a cada um dos países e instituições de ensino integrantes por meio das informações elaboradas pelas equipes de cada país disponíveis nos Observatórios Nacionais. O OIE integra as ações do MISEAL, projeto desenvolvido por doze IES latino-americanas e quatro européias, sob coordenação do Núcleo de Estudos de Gênero Pagu da Universidade Estadual de Campinas, no Brasil, em conjunto com o Instituto de Estudos Latinoamericanos da Freie Universität de Berlim, a partir do apoio da União Europeia nos marcos do projeto ALFA III.

As informações oferecidas sob uma perspectiva comparada partem de análise multinível no que diz respeito ao âmbito institucional (leis e políticas públicas em nível federal ou das províncias e estados, bem como normativas, programas, medidas e dados sobre inclusão social nas IES), das populações (estudantes, docentes e funcionários) e dimensões (acesso, permanência e mobilidade). A perspectiva analítica que organiza todo o material é interseccional e toma os marcadores sociais de diferença selecionados - gênero, etnia/raça, nível socioeconômico, sexualidade, idade e necessidades especiais – como eixos de diferenciação social que podem operar como desigualdades e que se constituem mutuamente.

 

Funcionamento e conteúdos  

Os conteúdos disponíveis no OIE representam os múltiplos aspectos do trabalho do MISEAL e são distribuídos em camadas interconectadas. Assim, os aspectos conceituais e metodológicos que estruturam a coleta, análise e disponibilização do material encontram-se principalmente em Sistema de indicadores interseccionais. Em Resultados são divulgados os aspectos metodológicos acerca da padronização de termos e da operacionalização dos marcadores de diferença, bem como análises multinível que contextualizam, a partir de dados populacionais sobre os países, os resultados sobre as IES e sistemas educacionais nos países, sobre equidade de gênero e sobre marcadores de raça/etnia e necessidades especiais.

Outra parte importante dos conteúdos – ainda apresentados em versão preliminar - encontra-se em Normativas, onde são analisadas as normativas das instituições de ensino superior com relação às dimensões de acesso, permanência e mobilidade das populações de estudantes, docentes e funcionários das instituições participantes; e Recomendações, onde são feitas recomendações pelas equipes integrantes do MISEAL no sentido de melhorar as condições de acesso, mobilidade e permanência nas IES.

Os conteúdos anteriores ganham dinamismo e são complementados através da seção de Notícias, atualizadas permanentemente pelos Observatórios Nacionais; e do Banco de Recursos, que oferece recursos para ampliar o conhecimento e a capacidade de intervenção de gestores, pesquisadores, ativistas: listas de referências bibliográficas sobre interseccionalidade e sobre cada um dos diversos marcadores sociais de diferença abordados no MISEAL; guias para oficinas de sensibilização; vídeos e campanhas; informações sobre chamadas e editais, listas de outros observatórios e de especialistas em inclusão social e promoção de equidade.  

Espera-se que os conteúdos disponibilizados no OIE permitam delinear novas estratégias de atuação no âmbito das IES e que sirvam como subsídio para informar políticas educacionais mais efetivas na promoção da equidade de condições para o acesso, a permanência e mobilidade entre estudantes, docentes e funcionários nas IES latino-americanas.

 

Saiba mais: